85 98117.4241

ouvinte@redeshalomderadios.com

85 3261.3600 / 3264.1863

Notícias

Prefeitura de Fortaleza anuncia galeria subterrânea para evitar alagamentos na Av. Heráclito Graça

  • Publicado em 23/04/2019

Como forma de tentar resolver definitivamente os alagamentos recorrentes na Avenida Heráclito Graça, no Centro de Fortaleza, a prefeitura deverá apresentar, ainda neste ano, um projeto para a construção de uma galeria subterrânea, paralela ao fluxo do Rio Pajeú, sobre o qual a via foi construída. A expectativa é de que as obras comecem ainda no segundo semestre de 2019.

O projeto, que começou a ser elaborado em janeiro, é inspirado em uma intervenção realizada na Avenida Aguanambi, que já provou ter sido bem-sucedida para evitar o acúmulo de água durante o período chuvoso. A galeria deverá traçar outro caminho até o mar, desviando os excessos das precipitações e diminuindo a problemática de inundação. Em março deste ano, uma caminhonete chegou a ficar submersa na via.

“Na Aguanambi, foi feito um canal sob a via, que duplicou a capacidade de vazão, de escoamento. É uma obra grande, que precisa de um investimento financeiro grande. Ainda não é possível estimar um prazo de conclusão, mas uma vez que o projeto fique pronto, aí teremos uma previsão”, explica Samuel Dias, titular da Secretaria Municipal de Governo (Segov).

Outra alternativa para os alagamentos na Avenida Heráclito Graça prevê a construção de uma área de amortecimento, que implica na disponibilização de terrenos no entorno da área para onde a água seria escoada, desobstruindo a via e as calçadas.

“Esta é uma ação paliativa, dado que não teria condições de resolver a cheia lá, só iria melhorar a condição em inundações menores. Com o novo projeto da galeria, será preciso avaliar a necessidade dessas áreas de amortecimento. Talvez só a galeria já seja o suficiente”, pondera o secretário.

Ainda conforme Samuel Dias, a impermeabilização da área no entorno da Avenida, o aumento de intensidade das chuvas e a obstrução do curso natural do Rio Pajeú, que diminuiu sua capacidade de vazão, são os principais fatores por trás do alagamento que se repete durante as precipitações na capital.

Fonte: G1 CE