85 98117.4241

ouvinte@redeshalomderadios.com

85 3261.3600 / 3264.1863

Notícias

Ministério da Saúde vai convocar médicos cubanos para trabalhar na pandemia do novo coronavírus

  • Publicado em 16/03/2020

O secretário-executivo do Ministério da Saúde, João Gabbardo, afirmou em entrevista ao Jornal GloboNews deste domingo (15) que o órgão vai convocar médicos cubanos que participaram do programa Mais Médicos para ajudar a controlar a epidemia do novo coronavírus.

Também serão chamados estudantes de medicina— a partir do sexto ano de curso —, para atuar na atenção básica de saúde.

De acordo com Gabbardo, a medida é para ajudar a repor parte da mão de obra médica que se perde durante o trabalho, já que os médicos também sofrem com a contaminação.

“A gente perde no transcorrer da doença. Mesmo que os sintomas deles sejam leves, eles têm que ser isolados para não ficar transmitindo a doença para os seus pacientes”, explicou.

“Esses cinco mil médicos que vão ser chamados, irão para a atenção básica de todo o país. E vamos fazer mais do que isso: nós vamos chamar a partir de amanhã (segunda, 16), todos os médicos cubanos que estavam trabalhando no programa inicialmente. Eles vão ser chamados. Assim como estudantes de medicina a partir do sexto ano e um chamado para médicos aposentados. Com certeza mais de cinco mil médicos”, afirmou.

O novo coronavírus acendeu um alerta global. Como as autoridades estão agindo para conter a disseminação da Covid-19? O que a ciência já sabe e o que falta para encontrar a imunização? Como podemos nos proteger? Quais os impactos futuros na economia?

Para esclarecer todas as dúvidas e atualizar as notícias do Brasil e do mundo em tempo real, a GloboNews traz neste domingo (15) uma edição especial de seis horas, ao vivo, com a cobertura completa da pandemia.

A partir das 18h, Leilane Neubarth e Heraldo Pereira recebem alguns dos maiores especialistas em saúde do país, junto com o time de comentaristas no Rio, São Paulo, Nova York e Buenos Aires, correspondentes em oito países e repórteres espalhados pelas principais cidades brasileiras.

Fonte: G1